quarta-feira, 18 de março de 2009

Um de seis



Segunda, cessa o encanto,
Esvaio em sádicas inquietudes,
Alerto angústias e
Transpiro agonia. Lúgubre e
mórbida.

Dos tão certos erros,
Do prazer transtornado e doentio,
Das vagas certezas,
De um escuro. Simples.

Segunda, os ângulos transgridem caminhos,
Rechaçam em pós de borracha e o diafragma ulula.
Inquieto e arguto, vagueio em gagueira e sinapses.
Segunda, inexiste

Na asfixia dos sem vida,
Dos sem cor,
Sem ter e
Sentir.

Sóbrio,
Refaço e recolho as lembranças dos dias já antigos,
De um ontem de misturas incertas e cara de amanhã.
Límpido e novo.
Mas ainda com espírito do primeiro dos outros longos seis dias e

estampidos tão próximos quanto os pássaros de outras terras.


Lucas G.

Um comentário:

Li disse...

Eu não sei o que é lúgubre, rechaçar, ulular (?!), arguto nem estampidos (seria estampados?), mas na escola me ensinaram a buscar o sentido do texto sem se prender no de cada palavra, e eu aprendi. E gostei bastante!

(E você não vai gostar desse comentário)


Ps.: a palavra que tenho que digitar aqui em baixo pra provar que eu nãosou um vírus é anteoci, que me lembrou anteontem, que me lembrou que os fins de semana acabam mas uma nova lua sempre vem por aí...